• A SOLUÇÃO DA CRISE ESTÁ À MÃO DE SEMEAR

    31 mars 2017 | Editorial | Admin
  • «Kadda kusa ku si kumsada i ta tem si fim son si Deus ka misti ki kata kaba!» (Tudo o que começa acaba; só não acaba se Deus não quiser!) – José Carlos Schwarz músico guineense.

    A crise que se vive na Guiné-Bissau começou algures mas, para não esgravatar a história recente do PAIGC, Partido vencedor das últimas eleições gerais, vamos situar o ponto de partida na Assembleia Nacional Popular, concretamente, no acto da não aprovação do Programa (e Orçamento Geral) do primeiro Governo da Legislatura liderado por Domingos Simões Pereira, Presidente do partido maioritário no parlamento. O nascimento do Grupo dos 15 Deputados do PAIGC que, que alegadamente contra as instruções superiores partidárias VOTARAM ABSTENÇÃO ao Programa do Governo e a consequente penalização que sofreram abriu um novo capítulo na vida do Partido de Cabral. A demissão posterior do Governo pelo Presidente da República, em Julho de 2015, foi, efectivamente, a gota d’água que fez transbordar o copo, cok todas as consequências inerentes.

    Hoje em dia passados tantos meses sobre a fatídica data, depois de se terem sucedido CINCO Governos pelas mãos do Presidente da República; não obstante a intervenção de pessoas de boa vontade e de organizações diversas, internamente, e, a nível externo – aqui pode-se contar organizações sub-regionais e regionais, personalidades políticas diversas para finalizar nos apelos das Nações Unidas através da sua representação e do Conselho de Segurança – chega-se a esta simples constatação que, pelos vistos, tem vindo a ser negligenciada pelas partes desde início da crise: A SOLUÇÃO PASSA PELO DIALOGO INTERNO. A SOLUÇÃO DA CRISE ESTÁ NAS MÃOS DOS GUINEENSES, DELES DEPENDE EM ULTIMA INSTÂNCIA.

    O facto do célebre Acordo de Conakry (aqui deve-se abrir parênteses para louvar as iniciativas que levaram à sua opção como forma ideal de solucionar a crise) ter falhado por não satisfazer as partes envolvidas, deve ser razão bastante para que os que têm a “faca e o queijo nas mãos” pensem noutras saídas susceptíveis de conduzir ao desfecho da crise que, em abono da verdade, já dura tempo de mais. A leitura simples que se pode fazer da crise é que, dividiu a sociedade literalmente; está a emperrar o andamento do país, o seu relacionamento com organizações de desenvolvimento e países amigos e parceiros de longa data, e, gradualmente está a arrastá-lo a uma situação de incerteza quanto ao seu devir próximo. Daí que, já não há espaço para a continuidade da crise. Não! Se José Mário Vaz insiste na sua posição, cabe ao PAIGC, pela sua responsabilidade histórica e presente, buscar outra saída, CUSTE O QUE CUSTAR. Neste caso, a MELHOR SAÍDA é MUDAR ESTRATÉGIA de tratamento desta crise que começa pela REINTEGRAÇÃO DOS 15 SEM CONDIÇÕES. Esse gesto, por mais incrível que possa parecer, longe de fragilizar Domingos Simões Pereira, vai dar-lhe um outro estatuto e projectar uma nova imagem interna e externamente. Não significará a PERDA DE UMA GUERRA, nem tão pouco a perda de qualquer PRESTÍGIO. É bom pensar que, no horizonte, se perfila 2018, ano da realização da eleição legislativa e, por sinal ano da realização do Congresso do PAIGC, acto importante, procedimento indispensável para a sua participação no escrutínio.

    Não se deve negligenciar qualquer elemento, qualquer dirigente que à sua volta reúne um grupo significativo de camaradas, 40 por cento, sob pena de criar fissura difícil de colmatar. A situação que se vive é espelho dessa realidade. Se se observar bem a gestão e execução do poder político não será preciso fazer um grande exercício intelectual para responder a esta pequena questão: QUEM DETÉM O PODER REAL EM BISSAU?

    Respondida esta questão, chega-se à conclusão de que, diga-se o que se disser, DOMINGOS SIMÕES PEREIRA deve aceitar mudar a sua estratégia, redesenhar, redefinir as eventuais soluções que podem acabar de vez com a crise política. Resolvida a crise interna, negociar com José Mário Vaz não será tarefa difícil visto que certamente não interessa a este manter o braço-de-ferro com o PAIGC até as eleições devido, eventualmente, à sua intenção de recandidatura. Nesse caso, quanto maiores consensos tiver maior garantia terá de concretizar a sua REELEIÇÃO em 2019. Pelos vistos algum trabalho está em curso nesse sentido.

    KAMARADA DIMINGU TEM KU OSA! – confidenciou um “Camarada” do PAIGC.

  • RAMOS HORTA, VAI VENCER A BATALHA CONTRA O TEMPO?

    No fim do mês de Janeiro corrente, o Senhor José Ramos Horta vai iniciar o exercício das suas actividades como Representante Especial do Secretário-Geral das Nações Unidas na República da Guiné-Bissau. Apesar da minha profunda convicção, de que anima-o a intenção de trabalhar em prol da paz e da estabilidade, e que esse sentimento é sincero, permita-me dizer que não acredito que vai [...]

    Read more

    O Movimento dos Cidadãos Livres (MCL) reclamou esta quarta-feira, através de uma nota, a criação de um tribunal constitucional que, teria como propósito dirimir os conflitos e averiguar a constitucionalidade das leis e decisões decorrentes do exercício dos titulares de cargos públicos. Neste ótica, o MCL recomenda uma revisão profunda da Constituição da República, de forma a [...]

    Read more

    «DAMA COTCHE»: ARTISTA DE CHARME

    DAMA COTCHE, nome artístico de Elitátia Cotchelita Pereira Cá, manteve uma entrevista com a GN durante a qual falou-se um pouco de tudo; os primeiros passos no mundo da música, os seus projetos e… a sua vida como artista e como jovem com muito caminho a percorrer pela vida fora... A artista da “nova geração” é autora e compositora. “Eu é que componho as minhas músicas. Começo [...]

    Read more

    Assaltada por um vazio, deito a mão ao actual livro de cabeceira, a compilação “Pensar para Melhor Agir”, das intervenções do Fundador das nacionalidades GB e CV, Amilcar Cabral, no Seminário de Quadros, 1969. E leio: “ Alguns camaradas, mesmo entre os que estão sentados nesta sala, têm a tendência de procurar comodidades à medida que crescem as suas responsabilidades. Há [...]

    Read more

    «Considero-me um cidadão político... cujo primeiro compromisso é com o país, a Guiné-Bissau»

    - Garante o escritor Fernando Casimiro “Didinho” Fernando Jorge Gomes da Fonseca Casimiro, “Didinho”, concedeu uma entrevista exclusiva a Gazeta de Notícias em que aborda as diversas facetas da actualidade guineense. Radicado em Portugal desde 1988, autor de vários artigos de opinião, autor de três obras literárias publicadas, “Didinho” define-se como “Humanista, pensador,[...]

    Read more

    GOVERNO PREVÊ ATINGIR 21 MEGA WATTS ATÉ FINAL DESTE ANO

    O governo decidiu aumentar a produção energética para Bissau de sete pata 17 megawatts, anunciou quarta-feira numa conferencia de imprensa, o ministro da Energia e Industria, Florentino Mendes Pereira. Mendes Pereira falava apos a assinatura de um contrato para o efeito com a empresa de fornecimento de energia denominada Aggreko PLC. Segundo o ministro, com a reparação de um grupo de [...]

    Read more

    CRISE POLÍTICA PERSISTE GUNÉ-BISSAU NUM BECO SEM SAÍDA?

    José Mário Vaz, cidadão guineense eleito Presidente da República da Guiné-Bissau na segunda volta das eleições presidenciais, a 17 de Maio de 2014, tem vindo a ser objecto de duras críticas e ataques de cidadãos particulares e partidos políticos. Em consequência disso, em alguns círculos murmura-se e chega-se ao ponto de considerá-lo o «PIOR PRESIDENTE DA REPÚBLICA QUE A [...]

    Read more

    O diretor da Educação do Sector Autônomo de Bissau alertou, sexta-feira em Bissau aos pais e encarregados de educação que, o processo de matrícula nas escolas públicas do país irá terminar no dia 25 de Setembro. “Assim que o prazo fechar vou reunir, mais uma vez, os diretores das escolas com vista a fazer balanço dos lugares ainda restantes. Caso houver vagas, qualquer interessado [...]

    Read more

    O líder do Movimento Patriótico manifestou-se sexta-feira contra uma eventual constituição de um Governo de unidade nacional, mostrando a sua inexistência na Constituição da República. Por isso, defende que se não for o PAIGC, se não for uma nova maioria, então que se dissolva a Assembleia Nacional Popular permitindo ao povo eleger novos parlamentares. José Paulo Semedo lembrou [...]

    Read more

    Crime organizado ganha força nas ilhas da Guiné-Bissau

    Quando lhe apontaram uma pistola, Armando Nhaga virou costas e fugiu da pista de aviação da ilha de Bubaque, Guiné-Bissau, onde trabalha como guarda. Armando, 60 anos, testemunhou ao longo da última década a aterragem de voos clandestinos que se suspeita estarem ligados ao tráfico de cocaína da América do Sul para a Europa. "Na hora em que chegavam diziam-me: 'sai'. E eu saía. Não [...]

    Read more

    Veja mais artigos >>