• Baciro Djá «nem aqueceu a poltrona»: como vice-presidente do paigc vai voltar ou não à chefia do próximo governo?

    10 septembre 2015 | Sonho Guineense | Admin
  • Baciro Djá foi primeiro-ministro de 13 de Agosto a 09 de Setembro de 2015. Substituiu Domingos Simões Pereira, cujo Governo foi demitido um dia antes, a 12 de Agosto, pelo Presidente da República alegadamente no uso das prerrogativas que a Lei Magna do país lhe confere situação seguida por fortes contestações de uma larga franja do PAIGC, algumas formações políticas, algumas organizações da sociedade civil e pessoas singulares que se julgaram no dever de exprimir dessa forma a sua solidariedade com o chefe do maior partido.

    Teoricamente a sua nomeação devia servir para apaziguar os ânimos e acabar com a crise política. Mas não foi o caso. O PAIGC, igual a si próprio, foi até às primeiras consequências. Quais serão as últimas?

    Domingos Simões Pereira chefiava o Governo desde Julho de 2014 na sequência dos resultados eleitorais de Abril de 2014, vencidas pelo PAIGC cujos estatutos lhe conferem esse direito. Das dificuldades que teve e tem para liderar o PAIGC não vamos falar. Apenas há que dizer que a sua configuração, a sua dimensão, exige um líder com maior experiência política, mais tarimbado, para poder dar conta das especificidades que o caracterizam como movimento de libertação com muitos anos de exercício do poder, que por força da mudança da conjuntura política mundial hoje exerce o poder que obteve através de eleições consideradas justas, transparentes, livres e democráticas.

    Nem tão pouco vamos referir as dificuldades de dirigir o Governo

    O mais difícil para qualquer Primeiro-Ministro é, dúvida não haja, como navegar no novo e complexo panorama político que se materializa a olhos vistos.

    Está provado que o Guineense tem como um dos seus principais “dotes” a sua incapacidade de GERIR AS VITÓRIAS, os ganhos, sobretudo, políticos… (Para outras esferas não avançamos.)

    Evidente é que tanto o PAIGC como o PRS estão divididos. É mais que certos que isso terá as suas implicações internas em cada uma das duas formações políticas que são as maiores do país.

    O PRS depois de aturados debates da sua Comissão Política que, segundo fontes bem colocadas, não foram nada pacíficas nem fáceis, acabou por avalizar a constituição do Governo. Enquanto “fiel da balança” política do país, o PRS, mais uma vez, jogou muito bem. Resultado: acabou por averbar cinco Ministérios e cinco Secretarias de Estado; três Regiões e duas direções-gerais….

    No primeiro Governo, para garantir uma governação tranquila, sem agitações na Assembleia Nacional Popular, o então Primeiro-Ministro chamou para o elenco governamental personalidades das formações políticas com assento parlamentar. Chamou o executivo GOVERNO DE INCLUSÃO.

    Para muitos, a iniciativa de Domingos Simões Pereira era simplesmente “un coup de maître”. De facto foi. Governou tranquilamente, a oposição manteve-se muda e calada, digo muda, todos os pacotes legislativos foram aprovados sem delongas e nem contestações dignas de tal nome.

    As divisões internas do PAIGC, sobretudo da parte dos que não eram propriamente da sua sensibilidade, não puderam fazer mais do que acompanhar o presidente do Partido na governação do Partido fazendo de contas que tudo ia bem quando na realidade nem tudo estava conforme porque algumas feridas do congresso de Cacheu ainda não estavam completamente saradas.

    O Governo demissionário para garantir uma governação tranquila e estável, teve que firmar um pacto de estabilidade governativa.

    Em ambos os casos, o vai vem é feito pelo PAIGC o detentor do poder por via da sua vitória eleitoral em 2014, que carece de entendimento com o PRS para efetivamente garantir uma legislatura sem sobressaltos e uma tranquilidade parlamentar.

    Neste momento aguarda-se o próximo passo de José Mário Vaz, depois do revés que sofreu com a decisão do STJ que declara inconstitucional a nomeação do Primeiro-Ministro.

    Do Presidente da República espera-se a correção dos passos que levam ao cumprimento das formalidades legais que enformam a nomeação do Primeiro-Ministro. Como se diz estes dias em Bissau, deve-se ter em conta os interesses superiores da Pátria e não as questões particulares.

    De Domingos Simões Pereira espera-se um comportamento a altura do líder de um Partido do vulto do PAIGC. Se a sua pessoa é a causa das atribulações, não há que insistir pois isso poderá levar o país a uma situação imprevisível.

    Depois do muito que se fez, de todas as formas e feitos, do mais baixo ao mais alto golpe, a hora é de paz e tranquilidade e… para pensar no coletivo e não no singular.

    Humberto Monteiro

  • MANCHAS DE PÓLVORA NA ROSEIRA E NO CAPIM

    Luis Carlos Alves de Melo*  Disna, i ka di aos ku tera tindji di burmedju, ku sukuru bisti bom dia (não é de hoje que a terra se tinge de vermelho, e que a luz se transforma em escuridão). A citação com a qual este artigo principia ilustra um dos capítulos de uma obra pouco difundida na esfera cultural: trata-se do livro Entre a Roseira e a Pólvora, o Capim[1], da poetisa guineense [...]

    Read more

    O Sindicato Democrático dos Professores (SINDEPROF) prometeu, hoje, avançar, no dia 20 do corrente mês, com um pré-aviso de greve no sector do ensino por alegado não cumprimento pelo governo do memorando de entendimento assinado entre as partes. Em entrevista concedida ao Gazeta de Notícias, o vice-presidente daquela organização sindical, Eusébio Có acusou o executivo, na pessoa da [...]

    Read more

    Para evitar pagamento criadores de gado resistem à vacinação de animais

    "Estamos a deparar com alguns entraves provocados pela resistência de algumas pessoas em vacinar os gados, alegando falta dinheiro; mas, pela injeção de cada animal cobramos um preço muito simbólico”. O esclarecimento é do vice-presidente da Associação dos Criadores de Gado, aquando do início da campanha de vacinação de gado hoje na cidade de Bafatá. Os trabalhos desenvolvidos [...]

    Read more

    A Deontologia como dimensão éticO-PROFISSIONAL DOS SERVIDORES PÚBLICO - ALGUMAS EMULAÇÕES - Os Servidores públicos são pessoas que prestam serviços ao Estado e às entidades da Administração Pública, com remuneração paga pelos cofres públicos, sendo responsáveis pelo desenvolvimento dos Serviços Públicos, e consequentemente do País, a partir de contribuições que, [...]

    Read more

    Dezanove (19) dos 190 fiéis muçulmanos não puderam ir à peregrinação na cidade Santa de Meca, este ano, para cumprirem o quinto pilar do Islão, mesmo pagando os 2.250.000 F CFa (dois milhões e duzentos e cinquenta mil francos CFA) exigidos a cada peregrino. Segundo informações disponíveis o alto comissário nacional para peregrinação aos lugares sagradas de Arábia Saudita não [...]

    Read more

    PAIGC DIVIDIDO, O PAÍS À DERIVA!

    Após as últimas eleições tidas como justas e transparentes, ainda não percebi quando foi findado o governo de transição. Até agora não senti esse corte. Sinto que ainda vivemos na transição para a estabilidade e tranquilidade verdadeira e necessária! Verdadeira no sentido transparente: sem “jogos e joguinhos”, sem dia de “cair”. Estamos sempre na espectativa! Todo este [...]

    Read more

    BCEAO e FMI organizam conferência regional sobre inclusão financeira

    Na abertura da reunião o director-executivo do BCEAO no país, João Aladji Mamadu Fadia, a partir da sede em Bissau, disse que a iniciativa visa a discussão entre os participantes, sobre o nível da taxa de bancarização na sub-região, considerada a mais baixa do mundo. “Queremos fazer de tudo para permitir as nossas populações o acesso as finanças”, afirmou. No entanto, João [...]

    Read more

    APELO

    27 janvier 2016 | Cultura
    APELO

    É nessa manhã que eu gostaria de me acordar para que olhares dos meninos, jovens e velhos me possam transmitir esperanças que já me abandonaram forças que já não consigo sentir nestes momentos de passos irreversíveis de construir uma sociedade justa, mais social, sem maldade Nesta manhã de apelos para mais união, sem vingança gostaria de ver esperanças nas feições de cada [...]

    Read more

    PR JOMAV exonera secretário de estado da Ordem Pública

    O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, exonerou hoje o secretário de Estado da Ordem Pública, Francisco Malam Djata, segundo um decreto presidencial divulgado à imprensa «É o senhor Francisco Malam Djata exonerado de funções de secretário de Estado da Ordem Pública», lê-se no diploma. O decreto, que não avança as razões para a exoneração de Francisco Malam Djata [...]

    Read more

    GUINÉ-BISSAU: De politiquices à instabilidade crónica

    Transitamos para a democracia, mas não olhamos atrás para ver se as raízes do colonialismo e da ditadura estão mortas. Recentemente o país completou um ano de crise institucional entre e intra órgãos de soberania que o deixou sem norte e nem rumo face aos propósitos do desenvolvimento e de boa governação. O atual contexto de incerteza alicerçado num obscurantismo político-jurídico [...]

    Read more

    Veja mais artigos >>