• Cultura

  • Minino di nha Terra

    27 janvier 2016 | Cultura
    Minino di nha Terra

    Minino di nha Terra Lundjo ma perto santado ma sin pressa gritos sunhos misti bidá bardade má ‘sperança cu confianca nó cumpanher minino ku na lanta ka bu dissa é robau mass kil ky di bó, bu liberdade dirito di vive na bu terra sin sinti kumá abó y di kintal sin cunsi trato de mufino Minino di nha terra É terra y ká kintal di nin Presidente y ká bulanha di políticos[...]

    Ler mais

    No âmbito do Dia Nacional da literatura e poesia, a Associação Guineense dos Escritores (AGE) homenageou hoje, no Clube do Bairro d´Ajuda, o pioneiro da música guineense, José Carlos Schwartz. A iniciativa visa atribuir valor, como é habitual, à uma figura falecida ou viva, ligada a literatura ou música. As atividades comemorativas foram marcadas com récitas de poesias, atuação [...]

    Ler mais

    QUEBEC (CANADÁ) - Ernesto Dabó: Uma descoberta incomum

    No ano passado, Ernesto Dabó lançou Lembrança, um disco fabuloso, gravado com músicos de Quebec, mas infelizmente passou despercebido aqui. Na Guiné-Bissau, é muito diferente, pois o cantor-autor-compositor é considerado um dos pais da música moderna guineense. Diz-se mesmo que Dabo é Vigneault (grande autor-compositor-intérprete de Quebec) da Guiné-Bissau. Aqui ele encontrou seus [...]

    Ler mais

    MANCHAS DE PÓLVORA NA ROSEIRA E NO CAPIM

    Luis Carlos Alves de Melo*  Disna, i ka di aos ku tera tindji di burmedju, ku sukuru bisti bom dia (não é de hoje que a terra se tinge de vermelho, e que a luz se transforma em escuridão). A citação com a qual este artigo principia ilustra um dos capítulos de uma obra pouco difundida na esfera cultural: trata-se do livro Entre a Roseira e a Pólvora, o Capim[1], da poetisa guineense [...]

    Ler mais

    AOS HOMENS DA ARTE?E CULTURA: OS ETERNOS PRESENTES SEMPRE ESQUECIDOS

    Sempre que um FIDJU DI TERA é chamado noutra partes do mundo por motivos outros distantes das "eternas crises" nacionais, rejubilamos, congratulamos por isso. Cada HOMENAGEM, cada premiação, reconhecimento sentido do talento, das capacidades de um FIDJU DI TERA, é a expressão de BALUR DI TCHON - FIDJU DI GUINÉ BALI PENA. Fora das reduzidas dimensões das politiquices que minam a [...]

    Ler mais

    ARMANDINHO SÁ COORDENADOR DA AMBFM À GN – “LUTAMOS PELO DIREITO À HABITAÇÃO”

    Depois de concluir o curso de engenharia civil em Cuba, em 2000, de regresso à Guiné-Bissau transitou por Lisboa onde tencionava passar uns tempos, mas acabou por ficar até hoje. Não exerce a sua profissão, mas está envolvido no ativismo social, da habitação e da imigração há mais de oito anos, em Portugal. Adquiriu conhecimento na área do empreendedorismo, passando a ensinar os [...]

    Ler mais

    ENCONTRO/CONVÍVIO EM LISBOA DIA DA COMUNIDADE GUINEENSE EM PORTUGAL

    Os guineenses residentes em Portugal reuniram-se, no sábado dia 10 de Novembro, no Mercado da Ribeira, em Lisboa, para um djubaiinformal sobre a vida da comunidade na diáspora e a atual situação que se vive na Guiné-Bissau.  Espetáculos musicais, desfile de moda, lançamento de livros, exposição de artesanato e gastronomia foram os ingredientes da festa que começou a tarde e terminou[...]

    Ler mais

    Veja mais artigos >>