• GUINEENSES NAS RUAS DE BISSAU CONTRA JOSÉ MÁRIO VAZ

    31 mars 2017 | Sociedade | Admin
  • Manifestantes exigiram, este sábado (25.03), na Guiné-Bissau, a demissão do Presidente da República. Segundo os movimentos sociais, José Mário Vaz é o principal responsável pela crise que se arrasta no país.

    Centenas de pessoas foram às ruas da capital guineense, Bissau, no sábado (25 de março), para exigir a renúncia do Presidente José Mário Vaz. A manifestação pacífica foi organizada pelo Movimento Cidadãos Conscientes e Inconformados (MCCI), formado por várias organizações da sociedade civil.

    As forças de segurança tentaram impedir o acesso dos manifestantes ao centro da capital, com objetivo de evitar que o protesto chegasse ao palácio presidencial.

    Segundo informações da agência de notícias Lusa, as autoridades colocaram uma plataforma móvel na Avenida Combatentes da Liberdade da Pátria, a cerca de 250 metros da Praça Império, onde se situa o palácio presidencial, bem como a sede do PAIGC (Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde).

    Com cartolinas vermelhas, simbolizando um “cartão vermelho” mostrado ao chefe de Estado, e palavras de ordem como “rua, rua”, “Jomav rua, Jomav fora” (usando o nome pelo qual o Presidente é conhecido) e “viva a liberdade”, os cidadãos permaneceram junto à barreira formada pelas forças de segurança.

    Para os manifestantes, é o chefe de Estado o responsável pela persistência da crise política que se arrasta há mais de um ano e meio em Bissau.

    Cidadãos insatisfeitos

    Na marcha participaram guineenses de diversas faixas-etárias, inconformados com a situação política do país. A enfermeira Clotilde Fy, de 60 anos, voltou para a Guiné-Bissau após passar dois anos em Portugal. Agora, desempregada, está se diz insatisfeita com a vida no seu país.

    “Fica pior a cada dia. Não sei como é que uma pessoa faz. Deixei tudo para trás em Portugal para voltar para a minha terra. E agora esta situação catastrófica”, disse a enfermeira ao correspondente da DW, Adrian Kriesch.

    Tony Goia, um dos dirigentes do MCCI, em entrevista à Lusa, defendeu a demissão de José Mário Vaz e a entrega da gestão da Guiné-Bissau às Nações Unidas por no mínimo 10 anos. Goia também enalteceu a “coragem crescente dos jovens” guineenses e apelou-os a participarem mais em “ações de protesto democrático”. Segundo ele, é possível “mudar o paradigma deste país”.

    Apesar do bloqueio ao acesso dos cidadãos ao palácio presidencial, o presidente do MCCI, Sana Canté, avaliou que a marcha de hoje decorreu de forma pacífica e assim vai continuar até que José Mário Vaz deixe o cargo.

    Governo vai até o fim?

    O Presidente da República encontrava-se fora de Bissau, numa visita de trabalho ao sul do país. Um dos 15 dissidentes do PAIGC, que foram alegadamente expulsos do Parlamento da Guiné-Bissau, Braima Camará, falou à DW África. Ele defendeu o Governo de José Mário Vaz.

    “Ele [o Presidente José Mário Vaz] é um homem que ama o seu país e seus compatriotas. O comboio está a rolar e nenhum poder na terra pode pará-lo. Este Governo vai governar até o fim”, afirmou.

    O porta-voz do PAIGC, João Bernado Vieira, é de opinião contrária. “A única possibilidade de sair deste caos, é deixar a voz do povo da Guiné-Bissau ser ouvida. Precisamos de eleições antecipadas. Essa seria a solução”, afirmou à DW.

    Crise em Bissau

    Há mais de um ano e meio que o Parlamento guineense não funciona devido às divergências entre os dois principais partidos políticos do país, o PAIGC e o Partido da Renovação Social (PRS). O atual chefe de Estado guineense foi eleito Presidente em 2014 para um mandato de cinco anos e desde então já nomeou cinco governos.

    Esta semana, o presidente do Parlamento da Guiné-Bissau, Cipriano Cassamá, apelou aos parceiros. Em reunião com os representantes do chamado P5 – que envolve a ONU, a União Africana, a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e a União Europeia, Cassamá apresentou uma proposta elaborada por si para a saída da crise.

    A proposta de Cipriano Cassamá passa, essencialmente, pela formação de um novo Governo que incluísse os cinco partidos com assento no Parlamento. O novo governo seria liderado, então, pelo PAIGC, vencedor das últimas eleições legislativas, mas que tem sido impedido de governar devido às divergências com o chefe de Estado.

  • Governo e SINDEPROF: Memorando de Entendimento põe fim à grave

    Segundo o referido Memorando, prevê-se a assinatura em conformidade com a lei, dos processos de efectivação e de reclassificação dos professores pela entidade competente, bem com a implementação imediata do Estatuto da Carreira Docente após a sua revisão e aprovação. No Memorando o Governo compromete-se a efectuar a devolução de horários à todos os professores aos quais lhes [...]

    Read more

    A QUEDA DO GOVERNO NÃO É NOVO E NÃO PASSA DO “DÉJÀ-VU”

    O gesto de demissão do Governo bissau-guineense, procedido ontem (12.08,2015) pela S Ex. Sr. Presidente da República da Guiné-Bissau é mau, uma loucura!  Mas enfim, ele não é novo e não passa do “déjà-vu” dos últimos 21 anos da instituição e “exercício” da nossademocracia pluralista, multipartidária e parlamentar. As 1aseleições de 1994 constituiram o pontapé de [...]

    Read more

    PR JOMAV ESTÁ Satisfeito COM O "AMBIENTE QUE VIVE HOJE NA GUINÉ BISSAU" MAS ... HÁ QUESTÕES QUE INTIMAM O GUINEENSE "A alteração da Constituição não é matéria da competência do Presidente da República, é matéria da competência dos guineenses e dos políticos. É uma matéria da exclusiva competência do povo e compete ao povo falar sobre isso", disse no dia 13 de setembro (era [...]

    Read more

    A presidente da Rede de Segurança e Paz para Mulheres no Espaço da CEDEAO (REMSICAO) apelou, hoje, segunda-feira, ao mundo, que pautem pela paz, porque só assim poderemos dialogar para resolver todas as questões e, consequentemente, obter a estabilidade e a paz. Elisa Pinto fez saber, numa entrevista alusiva a data, que a organização tem desenvolvido várias ações em prol das mulheres e[...]

    Read more

    APELO

    27 janvier 2016 | Cultura
    APELO

    É nessa manhã que eu gostaria de me acordar para que olhares dos meninos, jovens e velhos me possam transmitir esperanças que já me abandonaram forças que já não consigo sentir nestes momentos de passos irreversíveis de construir uma sociedade justa, mais social, sem maldade Nesta manhã de apelos para mais união, sem vingança gostaria de ver esperanças nas feições de cada [...]

    Read more

    GOVERNO DOA 6500 SACOS DE AÇUCAR À COMUNIDADE MUÇULMANA

    O Primeiro-ministro, Domingos Simões Pereira procedeu dia 03 a entrega de 6500 sacos de açúcar à Comunidade muçulmana, partidos políticos, órgãos da soberania e  sociedade civil no quadro do Ramadäo, mês de jejum. Durante a cerimônia de entrega dos donativos, o chefe do executivo disse que o gesto feito pelo governo é realizado em nome de todas as autoridades guineenses. Domingos [...]

    Read more

    Em resposta ao apelo das organizações da sociedade civil guineense agrupadas na Aliança Nacional para Paz e Democracia que decidiu avançar para desobediência civil a nível nacional, hoje, o Sindicato  dos Motoristas e Rodoviários da Guiné-Bissau (SMR) revelou que não vai aderir à iniciativa, por considerar os atuais acontecimentos no país de cunho político e que devem ser resolvidos [...]

    Read more

    AS FINANÇAS PÚBLICAS: Problemas e Soluções (2)

    O pagamento do salário, na Guiné-Bissau, constitui um das questões que afectam consideravelmente o funcionamento normal das instituições do país e, consequentemente, contribui para a sua fragilização, originando distorções e injustiças gritantes na sua Administração Pública. A título ilustrativo, verifica-se que o salário auferido por um servente é pago 60 vezes pelo mais alto [...]

    Read more

    PM Embaló promete incentivar partidos a acabarem com a crise política no país

    O novo primeiro-ministro Umaro Sissoco Embaló disse que vai falar com todos os partidos representados no parlamento para incentiva-los a acabarem com a crise política que assola o país há 15 meses. Empossado no cargo na sexta-feira pelo Presidente José Mário Vaz, o novo primeiro-ministro partiu no sábado para uma visita de trabalho ao senegal onde, disse, que ia fazer o ponto da [...]

    Read more

    O QUE FAZ CORRER JOMAV E DSP?

      “A nosso ver, a única alternativa à Paz é a própria Paz. Com a paz, e aqui destacamos o papel dos partidos políticos, da comunicação social, das confissões religiosas e de outras organizações da sociedade civil, com a paz sentimos a nossa irmandade a penetrar nas profundezas do âmago da nossa guinendade, do nosso sistema de valores. Com a paz galvanizamo-nos para desenvolver[...]

    Read more

    Veja mais artigos >>