• « Não há crise política na Guiné-Bissau, mas sim impasse institucional » – Soares Sambu, MNECIC

    9 février 2017 | Politica | Admin
  • «Não há crise política na Guiné-Bissau, mas sim impasse institucional» – Soares Sambu, ministro dos Negócios Estrangeiros

    A situação na Guiné-Bissau foi novamente objecto de um debate no Conselho de Segurança da ONU. O relatório do secretário-geral não é muito otimista, se o impasse persistir.
    O Conselho de Segurança mantém as sanções e acredita que esta medida permitiu deixar os militares longe de qualquer tentativa de tomada do poder pela força. Outra forma de pressionar as autoridades é usada: a suspensão da ajuda financeira ao orçamento do Estado pelo Banco Mundial, o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e a União Europeia.

    Para enfrentar esta situação, o Presidente José Mário Vaz acaba decretar, na quarta conferência dos embaixadores, que um plano de redução de representações diplomáticas é necessário, « o país não dispõe de meios financeiros para manter embaixadas em todas as partes ».
    Atualmente, a Guiné-Bissau tem 16 representações diplomáticas no estrangeiro, incluindo seis na Europa. O atual governo de Baciro Dja está em dificuldades, o prazo de 60 dias para apresentar o programa de governo foi largamente ultrapassado. A lei estabelece que, se o prazo não for cumprido, o governo deve demitir-se.
    Mas a culpa não cai no governo, mas sim na presidência da Assembleia Nacional Popular, que se esforça para impedir que esta votação tenha lugar.
    Como disse o chanceler atual, Soares Sambu, para diplomatas africanos « não há crise política na Guiné-Bissau, mas um impasse institucional. »
    O Presidente José Mário Vaz deve abordar a situação política e económica no país durante a Assembleia Geral das Nações Unidas, mas, antes disso, multiplicou deslocações no continente.
    Visitou o Congo – Brazzaville e Sudão.
    O Presidente solicitou ao general Embalo, para organizar a viagem africana, um especialista em questões regionais já foi no passado um missi dominici de outros chefes de Estado da sub-região.
    Em Brazzaville, o acolhimento foi extremamente quente, o Presidente Vaz foi ouvir e procurar aconselhamento do seu « amigo » Sassou Nguesso. Em Cartum, uma reunião de trabalho foi realizada na Presidência e uma entrevista foi arranjada com a liderança do Banco árabe para o Desenvolvimento Económico (BADEA).
    O Presidente José Mário Vaz também pode atender empresários sudaneses e do Golfo. Esta visita a Cartum foi objecto de críticas, uma vez que o presidente Omar al-Bashir é procurado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) por genocídio.
    O Presidente Vaz respondeu a essas críticas afirmando que a sua preocupação era « arranjar soluções para os problemas econômicos do país » e que ele não interfere nos assuntos de outros países e que « eu também defendo direitos humanos. Desde que eu governo o país, ninguém foi capturado, ninguém morreu, há liberdade de imprensa e de expressão « .

    No seu regresso a Bissau, o presidente surpreendeu muita gente declarando em tom firme « enquanto eu for chefe de estado, não dissolverei o parlamento », uma maneira de convidar os principais partidos políticos a se entenderem e levar o PAIGC a maior abertura.
    Uma saída do impasse político parece possível após a visita a Bissau dos Chefes de Estado de Guiné Conakry e Libéria como parte de uma missão de bons ofícios da CEDEAO.
    Esta missão recomendou o estabelecimento de um governo de « consenso » até as eleições de 2018. Este governo terá como tarefa principal a revisão da constituição, redefinindo da missão do Executivo, o Parlamento, o judiciário, a reforma da lei eleitoral e a lei de criação de partidos políticos.
    Um extenso programa, mas um vislumbre de esperança está surgindo sob a liderança do novo Presidente da Comissão da CEDEAO, o beninense Alain Marcel de Souza, para uma possível saída desta crise uma vez que dura há mais de um ano.

    Lettre de la lusophonie

  • Reações: LGDH acusa Presidente da República de ignorar esforços dos parceiros

    O secretário Nacional da Comunicação e porta-voz da Liga Guineense dos Direitos Humanos (LGDH) garantiu, hoje, na sede da organização em Bissau, que o derrube do Governo pelo Presidente da República foi uma decisão isolada e projetada. Durante a comunicação a imprensa Alex Bassuko Santos Lopes disse que, infelizmente, perante todo este cenário José Mário Vaz optou por uma decisão [...]

    Read more

    Condé admite falhas na gestão da mediação da CEDEAO e UA Alpha Condé, presidente em exercício da União Africana, admitiu estq quinta-feira em Paris falhas na gestão da mediação da CEDEAO e da organização panafricana, incapaz de por cobro ao impasse em Bissau tendo defendido a necessidade de alterar a constituição guineense. Alpha Condé é também o chefe de Estado da Guiné [...]

    Read more

    «Considero-me um cidadão político... cujo primeiro compromisso é com o país, a Guiné-Bissau»

    - Garante o escritor Fernando Casimiro “Didinho” Fernando Jorge Gomes da Fonseca Casimiro, “Didinho”, concedeu uma entrevista exclusiva a Gazeta de Notícias em que aborda as diversas facetas da actualidade guineense. Radicado em Portugal desde 1988, autor de vários artigos de opinião, autor de três obras literárias publicadas, “Didinho” define-se como “Humanista, pensador,[...]

    Read more

    O Movimento Nacional da Sociedade Civil para Democracia e Desenvolvimento (MNSCDD) exige ao Presidente da República, a exoneração do novo Primeiro-Ministro nomeado recentemente por sua própria iniciativa. No comunicado distribuído à imprensa, MNSCDD recomenda ao PR José Mário Vaz ouvir o PAIGC e outras formações políticas com assento parlamentar. Tendo mostrado surpreendido com a [...]

    Read more

    Governo e SINDEPROF: Memorando de Entendimento põe fim à grave

    Segundo o referido Memorando, prevê-se a assinatura em conformidade com a lei, dos processos de efectivação e de reclassificação dos professores pela entidade competente, bem com a implementação imediata do Estatuto da Carreira Docente após a sua revisão e aprovação. No Memorando o Governo compromete-se a efectuar a devolução de horários à todos os professores aos quais lhes [...]

    Read more

    O diretor da Educação do Sector Autônomo de Bissau alertou, sexta-feira em Bissau aos pais e encarregados de educação que, o processo de matrícula nas escolas públicas do país irá terminar no dia 25 de Setembro. “Assim que o prazo fechar vou reunir, mais uma vez, os diretores das escolas com vista a fazer balanço dos lugares ainda restantes. Caso houver vagas, qualquer interessado [...]

    Read more

    Ensino Público : Aberto novo ano lectivo 2015-2016

    O ano lectivo 2015/2016 sob o lema "De mãos dadas para uma Educação Inclusiva" foi aberto oficialmente esta segunda-feira (11 de outubro)  em Bissau, numa cerimónia presidida pela ministra da Educação Nacional, Maria Odete Costa Semedo. Na ocasião, a ministra explicou que o acto se realizou graças a coragem do seu pelouro, uma vez que o país se encontra mergulhado há dois meses numa [...]

    Read more

    Greve dos professores: Direecção do Sindeprof fala em 100 por cento de aderência

    Segundo Eusébio Có, em conferência de imprensa conjunta promovida pelo SINDEPROF e os candidatos à liderança deste sindicato, muitas das vezes os professores ficam velhos antes do tempo devido à falta de meios e má alimentação. “O SINDEPROF realizou esta conferência de imprensa para exprimir igualmente as suas ideias concernentes a declaração do porta-voz do governo segundo a qual[...]

    Read more

      O coordenador nacional dos Assuntos dos peregrinos admitiu, hoje, em Bissau, a culpa em nome do Alto comissariado para Peregrinação aos lugares Sagrados do Islão pela não participação dos muçulmanos guineenses no cumprimento do quinto pilar do islão. O pedido de desculpas aos que não conseguiram deslocar-se à Meca foi feito publicamente em conferência de imprensa. Dino [...]

    Read more

    Li atentamente e na íntegra o discurso do Senhor Presidente da República (PR), José Mário Vaz, a propósito da actual crise guineense. Parece-me objectivo e claro. Antes, tinha lido também a comunicação do Senhor Primeiro Ministro (PM), Domingos Simões Pereira. Bastante clara quanto ao seu objectivo. No essencial há apenas uma conclusão a tirar: perda de confiança mútua. A [...]

    Read more

    Veja mais artigos >>