• « Não há crise política na Guiné-Bissau, mas sim impasse institucional » – Soares Sambu, MNECIC

    9 février 2017 | Politica | Admin
  • «Não há crise política na Guiné-Bissau, mas sim impasse institucional» – Soares Sambu, ministro dos Negócios Estrangeiros

    A situação na Guiné-Bissau foi novamente objecto de um debate no Conselho de Segurança da ONU. O relatório do secretário-geral não é muito otimista, se o impasse persistir.
    O Conselho de Segurança mantém as sanções e acredita que esta medida permitiu deixar os militares longe de qualquer tentativa de tomada do poder pela força. Outra forma de pressionar as autoridades é usada: a suspensão da ajuda financeira ao orçamento do Estado pelo Banco Mundial, o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e a União Europeia.

    Para enfrentar esta situação, o Presidente José Mário Vaz acaba decretar, na quarta conferência dos embaixadores, que um plano de redução de representações diplomáticas é necessário, « o país não dispõe de meios financeiros para manter embaixadas em todas as partes ».
    Atualmente, a Guiné-Bissau tem 16 representações diplomáticas no estrangeiro, incluindo seis na Europa. O atual governo de Baciro Dja está em dificuldades, o prazo de 60 dias para apresentar o programa de governo foi largamente ultrapassado. A lei estabelece que, se o prazo não for cumprido, o governo deve demitir-se.
    Mas a culpa não cai no governo, mas sim na presidência da Assembleia Nacional Popular, que se esforça para impedir que esta votação tenha lugar.
    Como disse o chanceler atual, Soares Sambu, para diplomatas africanos « não há crise política na Guiné-Bissau, mas um impasse institucional. »
    O Presidente José Mário Vaz deve abordar a situação política e económica no país durante a Assembleia Geral das Nações Unidas, mas, antes disso, multiplicou deslocações no continente.
    Visitou o Congo – Brazzaville e Sudão.
    O Presidente solicitou ao general Embalo, para organizar a viagem africana, um especialista em questões regionais já foi no passado um missi dominici de outros chefes de Estado da sub-região.
    Em Brazzaville, o acolhimento foi extremamente quente, o Presidente Vaz foi ouvir e procurar aconselhamento do seu « amigo » Sassou Nguesso. Em Cartum, uma reunião de trabalho foi realizada na Presidência e uma entrevista foi arranjada com a liderança do Banco árabe para o Desenvolvimento Económico (BADEA).
    O Presidente José Mário Vaz também pode atender empresários sudaneses e do Golfo. Esta visita a Cartum foi objecto de críticas, uma vez que o presidente Omar al-Bashir é procurado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) por genocídio.
    O Presidente Vaz respondeu a essas críticas afirmando que a sua preocupação era « arranjar soluções para os problemas econômicos do país » e que ele não interfere nos assuntos de outros países e que « eu também defendo direitos humanos. Desde que eu governo o país, ninguém foi capturado, ninguém morreu, há liberdade de imprensa e de expressão « .

    No seu regresso a Bissau, o presidente surpreendeu muita gente declarando em tom firme « enquanto eu for chefe de estado, não dissolverei o parlamento », uma maneira de convidar os principais partidos políticos a se entenderem e levar o PAIGC a maior abertura.
    Uma saída do impasse político parece possível após a visita a Bissau dos Chefes de Estado de Guiné Conakry e Libéria como parte de uma missão de bons ofícios da CEDEAO.
    Esta missão recomendou o estabelecimento de um governo de « consenso » até as eleições de 2018. Este governo terá como tarefa principal a revisão da constituição, redefinindo da missão do Executivo, o Parlamento, o judiciário, a reforma da lei eleitoral e a lei de criação de partidos políticos.
    Um extenso programa, mas um vislumbre de esperança está surgindo sob a liderança do novo Presidente da Comissão da CEDEAO, o beninense Alain Marcel de Souza, para uma possível saída desta crise uma vez que dura há mais de um ano.

    Lettre de la lusophonie

  • «Não há crise política na Guiné-Bissau, mas sim impasse institucional» - Soares Sambu, ministro dos Negócios Estrangeiros A situação na Guiné-Bissau foi novamente objecto de um debate no Conselho de Segurança da ONU. O relatório do secretário-geral não é muito otimista, se o impasse persistir. O Conselho de Segurança mantém as sanções e acredita que esta medida permitiu [...]

    Read more

    PROJET REGIONAL DES PECHES EN AFRIQUE DE L’OUEST

    República da Guiné-Bissau SECRETARIA DE ESTADO DAS PESCAS E ECONOMIA MARÍTIMA PROJET REGIONAL DES PECHES EN AFRIQUE DE L’OUEST P119380 et P122182 IDA Grant Number H6530 – GW et GEF Grant Number 99597   SOLICITATION DE MANIFESTATION D’INTERET POUR LA SELECTION D’UN CONSULTANT (FIRME) POUR L’EVALUATION ET LA PREPARATION DU RAPPORT DE CLOTURE DU PRAO GUINEE BISSAU  Le [...]

    Read more

    O Sindicato Democrático dos Professores (SINDEPROF) prometeu, hoje, avançar, no dia 20 do corrente mês, com um pré-aviso de greve no sector do ensino por alegado não cumprimento pelo governo do memorando de entendimento assinado entre as partes. Em entrevista concedida ao Gazeta de Notícias, o vice-presidente daquela organização sindical, Eusébio Có acusou o executivo, na pessoa da [...]

    Read more

    República da Guiné-Bissau MINISTÉRIO DAS PESCAS ¬¬DIRECÇÃO GERAL DA FORMAÇÃO E APOIO AO DESENVOLVIMENTO DAS PESCAS PROJET REGIONAL DES PECHES EN AFRIQUE DE L’OUEST (PRAO GUINEE-BISSAU) SOLICITATION DE MANIFESTATION D’INTERET POUR LA SELECTION D’UN SPECIALISTE EN SUIVI ET EVALUATION DU PRAO-GUINEE BISSAU (PRAO-GB) Nº de Prêt/Crédit/Don : IDA PPF V0900 Projet ID : [...]

    Read more

    PM Embaló promete incentivar partidos a acabarem com a crise política no país

    O novo primeiro-ministro Umaro Sissoco Embaló disse que vai falar com todos os partidos representados no parlamento para incentiva-los a acabarem com a crise política que assola o país há 15 meses. Empossado no cargo na sexta-feira pelo Presidente José Mário Vaz, o novo primeiro-ministro partiu no sábado para uma visita de trabalho ao senegal onde, disse, que ia fazer o ponto da [...]

    Read more

    A Plataforma das Organizações da Sociedade Civil para Democracia Cidadania e Direitos Humanos (POSCDCDH) afirmou, hoje em conferência de imprensa que, é urgentíssimo a formação de um Governo constitucional, a fim de desbloquear o país e continuar efetuar esforços para o seu desenvolvimento. Caso contrário, diz a organização, o atraso na sua formação pode comprometer a abertura do [...]

    Read more

    AS FINANÇAS PÚBLICAS DA GUINÉ-BISSAU : PROBLEMAS E SOLUÇÕES

    O orçamento, citando G. Jéze “( …) é um acto político.” Isto porque ele “(…) é o reflexo financeiro da política governamental, na medida em que, qualquer que seja o programa político, terá necessariamente as consequências sobre as receitas e sobre as despesas e é por isso que é votado por políticos eleitos, que representam o povo no Parlamento. O orçamento reflete uma visão[...]

    Read more

    Ex-presidente Serifo Nhamadjo fala da crise política : «Eu não faria parte do problema, mas sim da solução» -

    O ex-Presidente da República de Transição, Manuel Serifo Nhamadjo, culpa os veteranos do PAIGC pela crise profunda do partido libertador cujos militantes e dirigentes estão em rota de colisão.   Em entrevista exclusiva à Rádio Makaré-FM, o ex-Chefe de Estado afirmou que “não se pode resolver um problema intensificando-o.” “Se fossemos nós a gerir esse conflito, garanto que [...]

    Read more

    ARMANDINHO SÁ COORDENADOR DA AMBFM À GN – “LUTAMOS PELO DIREITO À HABITAÇÃO”

    Depois de concluir o curso de engenharia civil em Cuba, em 2000, de regresso à Guiné-Bissau transitou por Lisboa onde tencionava passar uns tempos, mas acabou por ficar até hoje. Não exerce a sua profissão, mas está envolvido no ativismo social, da habitação e da imigração há mais de oito anos, em Portugal. Adquiriu conhecimento na área do empreendedorismo, passando a ensinar os [...]

    Read more

    PAIGC É UM MAL NECESSÁRIO?

    A Guiné-Bissau vive uma grave crise política e institucional quando, em condições normais, devia estar longe dessa situação devido a particularidade do cenário político. Vencedor das eleições democráticas de 2014, o PAIGC, apoiante do candidato presidencial vitorioso, enquanto primeira força política do país tem vindo a demonstrar incapacidade de gerir o poder absoluto que detém. [...]

    Read more

    Veja mais artigos >>